Equipes de resgate vasculham destroços de terremotos no Japão; indústrias contam custos

Por Kaori Kaneko e Thomas Wilson

TÓQUIO (Reuters) - Equipes de resgate japonesas vasculhavam neste domingo os destroços de construções destruídas por uma série de terremotos no sul do Japão conforme se esgotava o tempo para encontrar sobreviventes e grandes indústrias japonesas enfrentam perdas com a ruptura de cadeias de produção.

Um tremor de magnitude 7,3 foi sentido na manhã de sábado, matando pelo menos 32 pessoas, ferindo cerca de mil e causando amplos danos a casas, estradas e pontes. Pelo menos uma rodovia partiu em dois, derrubando concreto no vale adjacente.

No vilarejo de Minamiaso, 11 pessoas estavam "fora de contato", disse a emissora pública NHK. Equipes de resgate recuperaram 10 estudantes de um apartamento universitário derrubado na mesma área no sábado.

"Em Minamiaso, onde se concentravam os danos, pode ainda haver pessoas presas sob construções que entraram em colapso, então estamos focando nossa atenção e os esforços de busca e resgate nessa área", disse a jornalistas Yoshihide Suga, secretário-chefe do gabinete.

A região de Kunamoto é um importante centro industrial.

A Toyota disse que vai suspender a produção em fábricas ao longo de todo o Japão após os terremotos obstruírem sua cadeia de produção.

A gigante dos eletrônicos Sony disse que sua fábrica de sensores de imagem em Katsumoto continuará suspensa. Um dos principais clientes da companhia é a Apple.

Enquanto isso, a Honda disse que a produção em sua fábrica de motocicletas no sul do Japão continuará suspensa até sexta-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos