Principal grupo de oposição na Síria diz que não negociará mais se governo mantiver ataques

AMÃ (Reuters) - O principal porta-voz da oposição síria, Asaad Zoubi, pediu aos rebeldes que ataquem de volta o Exército sírio, acusado de usar o cessar-fogo para ganhar território. 

Em mensagem via Internet enviada aos combatentes, ele afirmou que não deverá continuar negociando em Genebra caso a ação do governo permaneça, e que não há progresso em uma demanda-chave para a oposição, que seria a transição política na Síria sem o presidente Bashar al-Assad. Ele não forneceu prazos.

"Nós não vamos nos estender muito nas negociações.... se um míssil os alveja eles nos retaliam com dez mísseis e o regime ainda explorou a trégua", disse Zoubi, cujo principal grupo de oposição já foi acusado pelos combatentes de ser alijado das conquistas em solo. 

A oposição principal inclui tanto a oposição política quanto armada a Assad. E ainda abarca grupos rebeldes como o Jaysh al-Islam e várias facções rebeldes do Exército Livre da Síria consideradas moderadas pelo Ocidente, algumas das quais já receberam apoio militar dos inimigos de Assad no exterior.  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos