Cuba deve cortar preços de produtos em lojas com gestão estatal, dizem funcionários

Por Marc Frank

HAVANA (Reuters) - Cuba vai reduzir a partir de sexta-feira os preços de alguns produtos básicos em milhares de lojas de gestão estatal de pesos conversíveis, disseram nesta quinta-feira funcionários de duas lojas de varejo em Havana.

A medida parece ter o objetivo de aquietar as reclamações de cubanos que não se beneficiaram das reformas de mercado e estão descontentes com o aumento do preço da comida e com a desigualdade. 

De acordo com um documento descrito como uma lista vazada do Ministério das Finanças que circulou na internet, os bens incluem itens como óleo de cozinha, frango, carne de hambúrguer e sopa, e os cortes nos preços variam de 10 a 30 por cento. O governo não confirmou de imediato a informação.

Um funcionário de uma loja de Havana, que pediu para não ser identificado, somente diria que eles incluem "produtos básicos que as pessoas precisam, como pasta de dente, detergente e óleo de cozinha".

A medida se dá menos de uma semana depois de o presidente Raúl Castro, falando ao Congresso do Partido Comunista, ter admitido que as reformas econômicas que começaram há cinco anos ainda têm que beneficiar muitas pessoas que continuam sob pressão para dar conta do custo de vida.

(Reportagem adicional de Nelson Acosta)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos