Homem de Connecticut, nos EUA, ameaça no Twitter bombardear comício de Donald Trump

NOVA YORK (Reuters) - Um homem de 20 anos de Connecticut, nos Estados Unidos, foi detido após ser acusado de enviar ameaças pelo Twitter de bombardear um comício para o candidato presidencial republicano Donald Trump, disseram autoridades neste domingo.

Sean Morkys de Waterbury, Connecticut, foi acusado de ameaçar, proferir injúrias e violação da paz.

O Serviço Secreto dos EUA, que é responsável pela segurança dos candidatos presidenciais, alertou o escritório contraterrorismo da polícia de Connecticut no sábado à tarde de que um usuário do Twitter tinha postado: "alguém vai bombardear o comício de Trump ou eu vou ter que fazer isso?".

Uma segunda postagem alertou um amigo para dizer a parentes que deixassem o comício em Waterbury para evitar serem prejudicados, segundo a polícia do estado.

A conta foi ligada a Morkys, que foi questionado em sua casa por detetives locais e agentes federais.

"O serviço secreto determinou que Morkys não representa uma ameaça imediata a quaisquer protegidos ou ao público", disse a polícia do estado.

Trump, o principal candidato para a nomeação presidencial republicana, fez várias aparições em toda Connecticut no sábado antes da eleição primária na terça-feira.

Morkys foi liberado com uma fiança de 25 mil dólares e deve comparecer a um tribunal em 4 de maio.

(Por Joseph Ax)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos