OMS emite alerta de febre amarela em meio a aumento de surto mortal em Angola

LONDRES/GENEBRA (Reuters) - Em vista das preocupações crescentes com um surto mortal de febre amarela que está se disseminando a partir de Angola, nesta terça-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou os viajantes com destino ao país africano a atentarem para seus avisos e se vacinarem.

Pelo menos 258 pessoas já morreram e surgiram cerca de 1.975 casos suspeitos da doença transmitida por mosquitos desde a irrupção de uma epidemia em dezembro de 2015 que já se tornou o pior surto do tipo em décadas.

A febre amarela é transmitida pelos mesmo mosquito que carrega os vírus do Zika e da dengue, mas é uma doença muito mais séria, com taxas de mortalidade de até 75 por cento em casos mais graves, e exige internação hospitalar.

A epidemia de Angola já se espalhou para outras nações do continente, entre elas a República Democrática do Congo (DRC, na sigla em inglês), e pelo menos 11 casos de febre amarela chegaram à China por meio de pessoas saídas de Angola. 

"Casos de febre amarela ligados a este surto foram detectados em outros países da África e da Ásia", disse Margaret Chan, diretora-geral da OMS, em um comunicado.

(Por Kate Kelland e Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos