CGU declara Mendes Júnior inidônea e a barra de licitações públicas por pelo menos 2 anos

SÃO PAULO (Reuters) - A Controladoria-Geral da União (CGU) informou nesta quinta-feira que declarou a construtora Mendes Júnior inidônea para contratar com a administração pública.

A decisão, assinada pelo ministro Luiz Navarro, é a primeira penalidade aplicada a uma das empresas envolvidas na Operação Lava Jato. Com a sanção, a construtora está proibida de celebrar novos contratos por, pelo menos, dois anos.

(Por Aluísio Alves)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos