Pompeia e outros projetos culturais terão investimentos na Itália

ROMA (Reuters) - A antiga cidade romana de Pompeia, um presídio numa ilha construído pelos Bourbons e a casa da Vênus de Botticelli estão entre as dezenas de pontos culturais que se preparam para dividir um investimento de 1,15 bilhão de dólares, afirmou nesta segunda-feira o ministro da Cultura da Itália.

Cuidar de séculos de arte e arquitetura tem provocado dores de cabeça para sucessivos governos italianos à medida que a estagnação econômica limita os financiamentos, e projetos de restauração são prejudicados pela burocracia e pela má gestão.

O ministro da Cultura da Itália, Dario Franceschini, disse que os 33 projetos constituíam “a maior operação no nosso patrimônio cultural na história da república”, se referindo ao período a partir do referendo de 1946 que enviou a família real italiana para o exílio.

Um dos maiores investimentos deve ir para a prisão do século 18 na pequena ilha do Mar Tirreno de Santo Stéfano, que foi fechada em 1960 e tem desde então enfrentado lenta decadência.

O ministro disse num comunicado que a prisão, cujas celas foram construídas em forma de ferradura ao redor de uma torre para fazer com que os presos se sentissem sempre vigiados, receberia 70 milhões de euros para restauração.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos