Indonésia prepara nova rodada de execuções; não há informações sobre estrangeiros

Por Agustinus Beo Da Costa

JACARTA (Reuters) - A Indonésia está preparando a execução de diversos prisioneiros, disse uma autoridade policial nesta quarta-feira, embora autoridades não tenham dito se há estrangeiros entre eles desta vez, um ano após a execução de traficantes estrangeiros, incluindo dois brasileiros, gerar condenação internacional.

O governo do presidente Joko Widodo prometeu retomar as execuções por pelotão de fuzilamento em uma prisão na ilha Nusakambangan, apesar de críticas de ativistas de direitos humanos e de governos estrangeiros.

"Estamos em alerta desde o mês passado para preparar o local", disse o porta-voz da polícia de Java, Aloysius Lilik Darmanto.

"Realizamos algumas obras no local, como pinturas e reparos, porque provavelmente mais pessoas serão executadas", disse, acrescentando que o pelotão de fuzilamento recebeu treinamentos e orientação.

Ele se negou a comentar quantos prisioneiros serão executados, ou quando, e se há estrangeiros entre eles.

No ano passado, os brasileiros Rodrigo Gularte e Marco Archer foram executados na Indonésia por tráfico de drogas, após o governo da Indonésia rejeitar os pedidos de clemência do governo brasileiro, o que gerou uma crise diplomática entre os dois países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos