Trump escolhe chefe de arrecadação de campanha e dá detalhes de políticas

Por Emily Stephenson e Susan Cornwell

WASHINGTON (Reuters) - Donald Trump, candidato presidencial republicano, redirecionou o foco nesta quinta-feira para as eleições gerais de novembro, deixando para trás a dura campanha das primárias, anunciando o chefe de arrecadação de recursos e apresentando ideias de política econômica.

Com poucos dos tradicionais festejos e cumprimentos geralmente dedicados ao candidato que emerge como potencial nomeado, Trump direcionou a sua atenção para a infraestrutura da campanha e detalhes de política que ele precisará para enfrentar a provável nomeada democrata, Hillary Clinton.

À medida que Trump segue adiante depois de derrotar 16 rivais na disputa pela nomeação, republicanos proeminentes avaliam quanto apoio darão a um candidato que rejeita a linha do partido em comércio e incomoda as lideranças partidárias com comentários ofensivos sobre mulheres e imigrantes.

O bilionário empresário de Nova York do setor imobiliário usou o seu próprio dinheiro em boa parte da campanha das prévias, mas planeja seguir o caminho mais tradicional de levantar recursos via fontes externas para as eleições de 8 de novembro que vai escolher o sucessor do presidente Barack Obama.

Ele nomeou o chefe de finanças da sua campanha nesta quinta-feira. Ele é Steven Mnuchin, presidente-executivo da empresa de investimento Dune Capital Management e com quem Trump trabalhou na iniciativa privada no passado.

Mnuchin tem uma longa história de fazer doações políticas, incluindo para Clinton. Desde 1998, Mnuchin deu cerca de 71 mil dólares para os democratas e cerca de 37 mil para os republicanos. Republicanos já questionaram a lealdade de Trump com o partido porque ele também já doou para candidatos democratas no passado.

Trump, que de forma frequente comentou durante a sua campanha sobre os seus anos de “vencedor” nos negócios, também falou mais sobre como ele pretende promover os negócios norte-americanos, prometendo taxas mais baixas e menos regulação.

Os rivais de Trump que permaneciam na corrida republicana desistiram nesta semana, abrindo o caminho para que ele seja escolhido o candidato a presidente do partido na convenção de julho.

Críticos dizem que a sua campanha tem feito promessas amplas sob o slogan “Faça a América Grande Novamente”, mas apresentou muito poucas propostas concretas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos