Após início tenso, líderes recomendam aprovação de parecer pelo impeachment

BRASÍLIA (Reuters) - Após um início turbulento dos trabalhos nesta sexta-feira na comissão especial do Senado sobre o impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, líderes partidários passaram à fase de encaminhamento de votação e defenderam a aprovação do parecer pela abertura do processo.

Pouco depois de iniciada, a reunião teve de ser suspensa, após bate-boca entre os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), e o senador Aloyisio Nunes (PSDB-SP). Enquanto os dois parlamentares subiam o tom de voz, o presidente da comissão, Raimundo Lira (PMDB-PB), anunciava a suspensão dos trabalhos para que fosse trocada a campainha, normalmente disparada em casos como esse para reestabelecer a ordem no plenário.

Retomada a sessão pouco depois, passou-se à fase de encaminhamento para a votação que deve, no início da tarde, aprovar parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) favorável à instauração do processo contra Dilma. O governo tem garantidos os votos de apenas 5 dos 21 integrantes da comissão, razão pela qual uma rejeição ao relatório é pouco provável.

Já encaminharam a favor da abertura do processo o PP, o PSC, o PV, PSB, PMDB, PSD, DEM e o Bloco Parlamentar da Oposição. O PT, por sua vez, encaminhou contra a abertura do impeachment e PCdoB e PDT devem se manifestar da mesma forma.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello e Leonardo Goy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos