PGR denuncia Fernando Pimentel sob acusação de receber propina

(Reuters) - A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta sexta-feira, por suspeita de conceder benefícios tributários em troca de propina quando era ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

De acordo com comunicado da PGR, Pimentel foi denunciado "por solicitar e receber vantagens indevidas para gerar benefício tributário à empresa Caoa Montadora de Veículos". Os crimes relacionados são os de corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade de documento particular. As investigações estão no âmbito da operação Acrônimo.

"A vantagem indevida rendeu pouco mais de 2 milhões de reais a Pimentel", acrescentou a PGR.

A vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko de Castilho, que enviou a denúncia ao STJ, disse que os benefícios tributários tinham como referência a construção de uma planta industrial da Caoa no município de Anápolis/GO.

Em 2014, Pimentel deixou o ministério e foi substituído interinamente por Mauro Borges Lemos, "que se comprometeu a auxiliar na execução dos atos administrativos correspondentes à propina acertada", disse a PGR.

A assessoria do governador não estava imediatamente disponível para comentários.

Outras seis pessoas também foram denunciadas, entre elas acionistas/sócios da Caoa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos