Jornalistas detidos na Síria por 10 meses retornam à Espanha

MADRI (Reuters) - Três jornalistas espanhóis que foram sequestrados na Síria no ano passado chegaram a Madri neste domingo, em aparente boa saúde após quase 10 meses de cativeiro.

Os três homens - Antonio Pampliega, José Manuel Lopez e Angel Sastre - desapareceram em julho passado, alguns dias depois de cruzarem para a Síria da Turquia. Eles tinham ido para a cidade de Aleppo, no norte, para cobrir a guerra na região.

Os jornalistas autônomos foram recebidos por suas famílias e autoridades conforme saíram do avião sob chuva forte na base aérea de Torrejon de Ardoz, nos arredores de Madri. Imagens de TV distribuídas pelo governo mostraram um dos homens em lágrimas enquanto abraçava um parente.

Eles partiram do sul da Turquia após a notícia da sua libertação sair na noite de sábado.

O jornal El Pais disse que os jornalistas foram sequestrados e detidos pela Frente Nusra, ala síria da Al Qaeda e um grupo que é designado pelas Nações Unidas e os Estados Unidos como uma organização terrorista.

(Reportagem de Sarah White)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos