Cardozo admite ter conversado com Maranhão, mas nega pressão

BRASÍLIA (Reuters) - O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta segunda-feira que conversou com o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), e que ele acolheu todos os pontos contra a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Casa, menos o questionamento sobre declaração de votos.

Cardozo negou, no entanto, que tenha feito pressão sobre o presidente em exercício da Câmara e que discutiu apenas questões sobre recurso do governo.

Maranhão decidiu nesta segunda-feira suspender a sessão de votação da Câmara que acolheu o pedido de impeachment da presidente Dilma.

Cardozo argumentou que houve irregularidade na votação. Ele disse que, mesmo com o deputado suspenso e presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmando que não poderia haver orientação de bancada para votar impeachment na Câmara, isso acabou acontecendo.

(Reportagem de Lisandra Paragrassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos