Presidente de comissão do Senado diz que Câmara não tem mais ingerência sobre impeachment

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da comissão especial do impeachment no Senado Federal, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), afirmou nesta segunda-feira que é política e equivocada a decisão tomada pelo presidente em exercício da Câmara dos Deputados de anular sessão de votação do impedimento da presidente Dilma Rousseff na Casa.

No seu entendimento, após ter protocolado a denúncia no Senado, a Câmara perdeu qualquer ingerência sobre o processo.

"A sessão de admissibilidade da Câmara dos Deputados seguiu rigorosamente o que preconizou, determinou o Supremo Tribunal Federal. No momento em que a Câmara protocolou a denúncia no Senado Federal, a Câmara perdeu qualquer ingerência sobre o processo de impeachment", disse o senador em declaração divulgada pela assessoria de imprensa.

Atendendo a pedido da Advocacia-Geral da União, o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu anular a sessão em que houve a votação do impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, ocorrida nos dias 15, 16 e 17 de abril. [L2N1860X3]

"Portanto, isso o que o presidente da Câmara decidiu foi uma decisão essencialmente política e, no meu entendimento, equivocada", afirmou Lira.

(Por Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos