Comandante do alto escalão do Hezbollah é morto na Síria

Por Tom Perry e Laila Bassam

BEIRUTE (Reuters) - Um dos principais comandantes do Hezbollah, Mustafa Badreddine, foi morto em um ataque na Síria, disse o grupo xiita libanês nesta sexta-feira, confirmando o maior golpe sofrido pela organização apoiada pelo Irã desde que seu chefe militar perdeu a vida em 2008.

Badreddine, de 55 anos, era uma das autoridades de mais alto escalão do grupo, e o governo dos Estados Unidos acredita que ele era responsável pelas operações militares do Hezbollah na Síria, onde a facção luta ao lado do presidente sírio, Bashar al-Assad.

A morte de Badreddine, cunhado do falecido comandante do Hezbollah Imad Moughniyah, é a maior das perdas recentes do grupo e do Irã na Síria, apesar da intervenção militar da Rússia em favor de Assad e seus aliados.

Pelo menos quatro figuras proeminentes do Hezbollah foram mortas desde janeiro de 2015. Vários funcionários iranianos de alta patente também pereceram, seja combatendo insurgentes sírios ou em ataques de Israel.

O Hezbollah afirmou que Badreddine morreu em uma grande explosão que visou uma de suas bases perto do aeroporto de Damasco e que já há uma investigação em curso para determinara se ela foi causada por um ataque aéreo, um disparo de míssil ou um bombardeio de artilharia, mas não disse quando ele foi morto.

Nawar al-Saheli, membro do Hezbollah no parlamento do Líbano, disse que Israel está por trás de sua morte, mesma afirmação da rede de televisão libanesa Al-Mayadeen. Israel alvejou alvos do Hezbollah na Síria várias vezes desde que o conflito teve início no país em 2011.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos