Bangladesh prende militante islâmico por assassinato de ativistas do direito gay

DACA (Reuters) - A polícia de Bangladesh prendeu um militante islâmico pelo assassinato de dois defensores dos direitos homossexuais em meio a uma onda de ataques violentos contra ativistas liberais e outras minorias no país sul-asiático.

Xulhaz Mannan, de 35 anos, editor da primeira revista de Bangladesh para gays, bissexuais e transgêneros, e seu colega ativista Mahbub Rabbi Tonoy, de 25, foram mortos em um apartamento na capital Daca, no final do mês passado.

O ataque foi reivindicado pela al Qaeda no subcontinente indiano. A polícia, no entanto, prendeu Shariful Islam, de 37 anos, membro do grupo militante local Ansarullah Bangla Team, em conexão com os assassinatos. O governo de Bangladesh negou que o Estado Islâmico ou a al Qaeda tenham presença no país.  

Monirul Islam, chefe da unidade de contraterrorismo da polícia de Daca, disse em coletiva de imprensa no domingo que Shariful Islam foi preso no distrito de Kushtia. Ele foi levado à coletiva, mas não comentou.  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos