Criadora de Harry Potter diz que Trump tem direito de ser intolerante

NOVA YORK (Reuters) - A escritora britânica J.K. Rowling, criadora do universo mágico de Harry Potter, classificou o provável candidato presidencial republicano Donald Trump como intolerante, após receber o prêmio PEN/Allen Foundation Literary Service Award em Nova York.

Rowling, que recebeu a honraria por seus esforços no combate a desigualdade e censura, criticou o magnata, que pediu que muçulmanos sejam temporariamente impedidos de entrar nos Estados Unidos.

Mas a autora defendeu o direito de Trump visitar a Grã-Bretanha, apesar da revolta que seus comentários causaram em sua terra natal.

"Acho quase tudo que o senhor Trump diz questionável. Considero-o ofensivo e intolerante. Mas ele tem meu apoio total para vir a meu país e ser ofensivo e intolerante aqui", afirmou Rowling sob aplausos da plateia na segunda-feira.

Em janeiro, legisladores britânicos debateram uma petição assinada por mais de meio bilhão de seus conterrâneos para proibir a entrada de Trump no país por causa de sua declaração sobre muçulmanos, mas decidiram que o ex-apresentador de reality show deveria ter permissão de visitar a nação para que suas posturas possam ser questionadas.

No ano passado, Rowling escreveu no Twitter que Voldemort, o vilão de "Harry Potter", "não chega nem perto de ser tão ruim" quanto Trump.

        

(Da Reuters TV)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos