Índia não deve exportar açúcar nos próximos 24 meses, diz RCMA

NOVA YORK (Reuters) - A Índia não deve ser vista como uma exportadora de açúcar nos próximos 24 meses, embora ainda seja incerta a quantidade da commodity que o país pode comprar, projetou nesta quarta-feira o chefe da divisão de açúcar RCMA Sugar Zaandam, Jonathan Drake, em evento do setor açucareiro em Nova York.

Apesar da previsão, Drake acredita que ainda é prematuro estimar a quantidade que o país, segundo maior produtor de açúcar do mundo, deva importar na temporada.

"Ainda é muito certo para saber se a Índia importará 2 milhões de toneladas ou 6 milhões de toneladas (de açúcar)", disse Drake.

Já a projeção para a China é de que o país importe entre 7 milhões e 8 milhões de toneladas de açúcar em um ou dois anos, com a potência asiática se caminhando para se tornar uma importadora estrutural, devido ao abandono da cana pelos produtores.

"A mudança da política na China, e quando ela ocorrer, provavelmente será uma diretriz para nosso negócio de açúcar este ano, junto com o que acontecer com as monções na Índia", disse ele.

(Por Marcy Nicholson)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos