Argentina, Chile e Uruguai pedem diálogo na Venezuela e oferecem mediação

SANTIAGO (Reuters) - Os governos de Argentina, Chile e Uruguai pediram nesta sexta-feira um diálogo político efetivo para a grave crise atravessada pela Venezuela, e se ofereceram para mediar a busca de uma solução pacífica para o país.

Em uma declaração conjunta, os chanceleres dos três países exortaram, sob o princípio de não interferência em assuntos internos, um genuíno entendimento cívico, em meio a crescentes tensões entre o presidente Nicolás Maduro e a oposição, que busca a sua saída do governo.

"Os chanceleres assinados abaixo, ao exortar o governo, a Assembleia Nacional e a todas as outras forças políticas e sociais venezuelanas, expressam sua disposição fraternal para acompanhar por meio de um grupo de amigos a imperiosa tarefa de reconciliação nacional", disse o documento.

A declaração foi divulgada justamente no momento em que centenas de milhares de militares venezuelanos iniciaram na sexta-feira exercícios que se estendem até sábado, dias após Maduro ter declarado estado de exceção.

Argentina, Chile e Uruguai enfatizaram que os problemas da Venezuela devem ser resolvidos pelos próprios venezuelanos, de acordo com as suas instituições e observando os compromissos internacionais de proteção integral dos direitos humanos e das liberdades individuais.

(Por Antonio de la Jara)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos