Rússia propõe a coalizão dos EUA ataques aéreos conjuntos a rebeldes da Síria

MOSCOU (Reuters) - A Rússia propôs à coalizão liderada pelos Estados Unidos a realização de ataques aéreos conjuntos contra rebeldes da Síria, incluindo o grupo islâmico militante Frente Al-Nusra, que não estão respeitando o cessar-fogo, disse o ministro russo da Defesa, Sergei Shoigu, nesta sexta-feira.

Tal ação teria início a partir de 25 de maio e seria coordenada com o governo sírio, afirmou ele em uma reunião de sua pasta transmitida pela televisão estatal, acrescentando que Moscou se reserva o direito de realizar bombardeios unilateralmente.

O Pentágono disse não ter sido notificado formalmente da proposta do Ministério russo da Defesa e enfatizou que não está colaborando com a Rússia.

"Não recebemos (a proposta), e eu vi os mesmos relatos que vocês", disse seu porta-voz, o capitão Jeff Davis.

"Só posso dizer a vocês de onde estou e de onde estamos hoje que não colaboramos ou coordenamos quaisquer operações com os russos na Síria."

Davis não quis especular a respeito de qualquer mudança em potencial nessa posição. Washington tem se recusado a se unir a qualquer operação que seja coordenada com Damasco, como foi o caso da campanha de ataques aéreos russos iniciada em setembro do ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos