Bachelet volta atrás com agenda de reformas devido à economia

SANTIAGO (Reuters) - A presidente do Chile, Michelle Bachelet , disse neste sábado que algumas das reformas propostas por ela teriam de aguardar por conta da desaceleração da economia e de um apoio político morno, mas se comprometeu a pressionar por mudanças nos sistemas de pensões e de educação.

Bachelet, que precisa trabalhar rápido para assentar seu legado no último ano inteiro no poder antes das eleições de 2017, afirmou que prepara medidas para tornar a educação universitária gradualmente gratuita e que trabalharia para apressar a criação de um fundo de pensões do Estado.

"Nós vamos continuar com propostas pendentes -- menos numerosas, o que torna possível completar as mudanças que foram prometidas", disse a presidente, em discurso anual perante o Congresso na cidade de Valparaiso.

"Há também iniciativas que nós precisamos reprogramar porque nós temos que considerar restrições de recursos ou a necessidade de formar amplos acordos", disse Bachelet, sem especificar que iniciativas seriam adiadas.

(Reportagem de Fabian Andres Cambero)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos