Morrem 4 e 90 ficam feridos em confrontos em zona protegida de Bagdá

Por Ahmed Rasheed e Kareem Raheem

BAGDÁ (Reuters) - Ao menos quatro manifestantes contrários ao governo foram mortos e outros 90 ficaram feridos quando forças de segurança os expulsaram da altamente protegida zona verde de Bagdá, disseram fontes de segurança no sábado.

Forças de segurança do Iraque usaram munição, balas de borracha, jatos de água e gás lacrimogêneo na sexta-feira para dispersar manifestantes do distrito central, onde estão prédios governamentais, o Parlamento e diversas embaixadas.

Entre os milhares de manifestantes, havia apoiadores do clérigo Moqtada al-Sadr e pessoas de outros grupos frustrados com o fracasso do governo em aprovar reformas anticorrupção e garantir a segurança.

Na sexta-feira, o governo impôs por um curto período de tempo toque de recolher em Bagdá, e autoridades disseram mais tarde que a ordem havia sido restabelecida depois do protesto.

O total de mortos e feridos, compilado em quatro hospitais para onde foram levadas as vítimas, representa apenas os atingidos por balas e não inclui casos de sufocamento causado por gás lacrimogêneo.

Civis conseguiram entrar na zona verde duas vezes nas últimas três semanas, levantando dúvidas sobre a capacidade de o governo manter a segurança no local. Houve ainda um aumento nos casos de bombas neste mês, cuja detonação foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos