Redução de mortes de imigrantes no Mediterrâneo pode significar acerto de políticas, diz OIM

GENEBRA (Reuters) - Menos imigrantes estão morrendo na tentativa de cruzar o mar Mediterrâneo, o que pode refletir a adoção de políticas mais eficazes para controlar o fluxo de pessoas, disse a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta terça-feira.

Neste ano, 1.370 imigrantes e refugiados que buscavam chegar à Europa morreram no mar, quase 25 por cento a menos do que a esta mesma altura do ano passado, afirmou o porta-voz da OIM Joel Millman. A cifra inclui 13 mortes em maio, mas nenhuma delas na rota do leste do Mediterrâneo localizada entre a Turquia e a Grécia, disse.

"Atribuímos essa queda nas fatalidades à queda extremamente acentuada de pessoas que chegaram à Grécia saídas da Turquia", afirmou Millman. "Obviamente, como a rota turco-grega parece estar suspensa, esperamos que este seja o início de uma política de gerenciamento (da imigração) confiável".

"É possível, e quero enfatizar o possível, que o período de fatalidades recorrentes que ocorria desde 2013 esteja chegando ao fim agora, talvez vejamos um verão (europeu) mais seguro".

(Por Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos