Dalai Lama pede unidade tibetana após posse de líder político

Por Abhishek Madhukar

DHARAMSALA, Índia (Reuters) - O Dalai Lama exortou os tibetanos nesta sexta-feira a permanecerem unidos, dizendo a uma plateia reunida para a posse do novo líder do povo exilado que estes precisam evitar as divisões que prejudicaram outras religiões.     

O líder espiritual budista criticou a campanha de eleição do líder político, que degenerou para ofensas pessoais e eclipsou qualquer debate sobre como persuadir a China a conceder autonomia ao Tibete.

"Se vocês realmente me consideram seu amigo, então por favor fiquem unidos, independentemente de sua região ou linha religiosa", disse ele para cerca de dois mil monges e devotos presentes no templo na cidade montanhosa indiana de Dharamsala, onde a comunidade exilada está sediada.

Os tibetanos no exílio reelegeram Lobsang Sangay como líder político no mês passado, na segunda eleição deste tipo desde que o Dalai Lama abdicou do poder político em 2011 para deixar uma liderança política levar adiante a causa de seu povo.

Na cerimônia, na qual artistas tibetanos tradicionais cantaram seu hino nacional, Sangay disse que ele e seus adversários lamentam não ter mantido as tradições tibetanas de humildade e boa conduta.

O Dalai Lama e Sangay apoiaram a chamada abordagem do meio termo – pedir que Pequim conceda autonomia ao Tibete dentro da China, ao invés de uma independência propriamente dita.        

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos