Família de menino que caiu em cativeiro de gorila não processará Zoológico de Cincinnati

CINCINNATI, Estados Unidos (Reuters) - A família de um menino de três anos que caiu em um cativeiro de um gorila, o que levou funcionários de um zoológico a matarem o animal ameaçado de extinção, disse nesta quarta-feira que não processaria o Zoológico de Cincinnati após o episódio.

A família, cujo nome tem sido mantido em sigilo pela polícia, disse através de uma porta-voz, Gail Myers, que o menino estava passando bem. Eles disseram anteriormente nas redes sociais que ele havia sofrido uma concussão e arranhões. Eles pediram às pessoas que não enviassem presentes financeiros à família, mas que fizessem doações ao zoológico.

O gorila de 17 anos chamado Harambe foi baleado e morto pelos funcionários do zoológico no sábado após o menino cair em seu cativeiro.

A polícia de Cincinnati está investigando se acusará os pais da criança. O promotor do Condado de Hamilton, Joseph Deters, disse em comunicado que a polícia se reuniria com seu escritório após uma análise do assunto. A família não quis comentar a investigação.

(Por Ginny McCabe; reportagem adicional por Suzannah Gonzales e Fiona Ortiz)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos