Demissão de ministros trouxe prejuízo a governo Temer, diz Padilha

Por Lisandra Paraguassu e Anthony Boadle

BRASÍLIA (Reuters) - A saída de dois ministros acusados de tentar atrapalhar a operação Lava Jato trouxe prejuízo político e afetou, “mesmo que injustamente”, a imagem do governo do presidente interino Michel Temer, admitiu nesta quinta-feira o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista à Reuters.

Padilha afirmou, no entanto, que não houve uma “contaminação ética” pelas saídas de Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência), e que Temer avisou a toda sua equipe que qualquer acusado será demitido, sem exceções. Ainda assim, disse, há preocupações no governo sobre o que mais poderá ser revelado nas delações premiadas.

Apesar das notícias de que senadores estariam mudando de ideia sobre aprovar o afastamento definitivo de Dilma Rousseff no julgamento final no Senado, Padilha garantiu que o governo terá mais do que os dois terços necessários.

“Para o governo, e para todos, quanto mais rapidamente essa situação ficar definida se sai dessa aparente dubiedade”, disse. “Sem dúvida dá mais autoridade política ao governo Temer, na medida em que a permanência do governo interino for confirmada”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos