Ministério das Cidades vai priorizar obras em fase adiantada, diz ministro

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Cidades, Bruno Araújo, disse nesta quinta-feira que será difícil cumprir com os compromissos assumidos para 2016 e que o orçamento limitado da Pasta a obrigará a privilegiar a conclusão de obras em fase adiantada de construção.

Em entrevista a jornalistas, Araújo disse que o limite do orçamento disponível do Ministério para este ano é de 7,92 bilhões de reais.

"A falta de compromisso de estabelecer um diálogo verdadeiro com a população causou grandes danos de expectativas que a sociedade precisa hoje com o governo interino repactuar como isso deve ser feito", afirmou o ministro.

O Ministério apresentou nesta quinta-feira um mapeamento dos compromissos firmados pelo governo de Dilma Rousseff e quanto tempo levaria para cumprir tudo o prometido.

"O orçamento para cumprir expectativas, por exemplo, como saneamento, são de 40 anos do orçamento de 2016. Em mobilidade, são 70 anos do orçamento desse ano", disse ele.

Araújo disse, no entanto, que programas como o Minha Casa, Minha Vida seguirão com as mesmas regras para dar mais eficiência aos recursos, sem cortes no programa.

"O Minha Casa Minha Vida segue firme, forte e é prioridade do governo avançar com ele de forma muito consciente", disse.

(Por Cesar Raizer)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos