Democracia não é algo a temer, diz Taiwan à China em aniversário de Tiananmen

Por J.R. Wu

TAIPEI (Reuters) - No aniversário da sangrenta repressão da China ao protesto de estudantes dentro e ao redor da Praça Tiananmen, a nova presidente de Taiwan disse à China neste sábado que a democracia não é algo a ser temido.

Tsai Ing-wen disse em um post do Facebook no 27o aniversário do evento que Taiwan pode servir de exemplo à China.

Tsai disse, na disputa eleitoral de Taiwan no início do ano, ter visto pessoas da China, bem como dos territórios chineses de Hong Kong e Macau, misturadas à multidão em Taiwan.

"Estes muitos amigos, após experienciarem as coisas eles próprios, podem ver que, na realidade, não há nada assustador sobre a democracia. A democracia é uma coisa boa e do bem", escreveu Tsai, que tomou posse no mês passado.

A China enviou tanques para acabar com os protestos em 4 de junho de 1989. Pequim nunca divulgou o número de mortos, mas estimativas de grupos de direitos humanos e testemunhas variam de centenas a milhares de mortos.

O tema continua sendo tabu na China, onde o presidente Xi Jinping supervisiona uma grande repressão à grupos de direitos humanos e ativistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos