Partido de oposição caminha para vitória em eleição de Roma, em revés para premiê italiano

Por Crispian Balmer e Gavin Jones

ROMA (Reuters) - O partido italiano anti-establishment Movimento 5 Estrelas parece prestes a assumir o comando de Roma após as eleições municipais do final de semana em todo o país, aumentando a pressão sobre o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, antes de um referendo constitucional vital marcado para outubro.

Com a contagem dos votos da capital quase encerrada, a candidata do 5 Estrelas, Virginia Raggi, advogada de 37 anos que concorre pela primeira vez, liderava com pouco mais de um terço dos votos, à frente do postulante do Partido Democrático (PD, centro-esquerda), de Renzi, que somava um quarto das preferências. A eleição será decidida no segundo turno de 19 de junho.

Renzi expressou decepção com os resultados nesta segunda-feira, mas alertou que não se deve tirar muitas conclusões de eleições locais cujos temas variaram da coleta de lixo aos congestionamentos de trânsito.

A votação foi vista por muitos como um teste para o governo de dois anos e meio de Renzi, mas o premiê rejeitou essa interpretação e disse que não terá impacto no desfecho do referendo.

"Não estou preocupado", garantiu ele em uma coletiva de imprensa.

O primeiro-ministro, de 41 anos, apostou seu futuro político em uma vitória no referendo, cujo objetivo é levar estabilidade ao cenário político e pôr fim à tradição italiana de governos de vida curta.

No domingo Renzi negou que a eleição de domingo tenha sido um triunfo para o Movimento 5 Estrelas, que atrai apoio do eleitorado revoltado com a corrupção.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos