Defesa de Dilma diz que petista usará avião de carreira e responsabiliza Planalto por segurança

BRASÍLIA (Reuters) - A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff notificou nesta terça-feira o Palácio do Planalto e informou que as viagens marcadas serão mantidas e feitas em aviões de carreira ou por meio terrestre, e que Presidência em exercício e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) serão responsáveis por qualquer situação que viole a sua segurança.

Na semana passada, o Palácio do Planalto restringiu uso de aeronaves da Força Aérea Brasileira por Dilma, a não ser em casos que a viagem seja para Porto Alegre, onde mora sua família. A presidente afastada já havia usado a FAB para viagens a Belo Horizonte e o Rio de Janeiro, onde participou de eventos em defesa de seu mandato.

Inicialmente, o entendimento acertado com o Senado havia sido de que Dilma poderia usar os aviões da FAB para suas viagens.

Na notificação, o advogado da presidente, o ex-advogado-geral da União José Eduardo Cardozo, diz ao presidente interino, Michel Temer, que a responsabilidade direta por qualquer problema de segurança que seja enfrentado por Dilma Rousseff será de sua responsabilidade.

“Cumpre salientar que a responsabilidade por quaisquer situações que violem a segurança pessoal da senhora presidente da República ou a atinjam em qualquer medida, ao longo destes deslocamentos, serão de responsabilidade exclusiva e pessoal da Presidência em exercício e do próprio titular do GSI”, diz a notificação.

(Por Lisandra Paraguassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos