Imigrantes estão ligados a 69 mil crimes na Alemanha em 2016, diz polícia

BERLIM (Reuters) - Imigrantes residindo na Alemanha cometeram ou tentaram cometer cerca de 69 mil crimes no primeiro trimestre de 2016, de acordo com um relatório policial que pode aumentar o receio com a política imigratória liberal da chanceler alemã, Angela Merkel, especialmente entre grupos anti-imigrantes.

O ano passado testemunhou um influxo recorde de mais de um milhão de imigrantes na Alemanha, e atualmente são generalizadas as preocupações sobre como a maior economia da Europa irá integrá-los e garantir a segurança.

O relatório do Departamento Estatal de Crimes (BKA) mostrou que os imigrantes do norte da África, da Geórgia e da Sérvia estão representados desproporcionalmente entre os suspeitos.

Os números absolutos de crimes cometidos por sírios, afegãos e iraquianos – os três maiores grupos de postulantes a asilo no país – foram altos, mas, dada a proporção de imigrantes a que eles dizem respeito, seu envolvimento em crimes foi, "claramente, desproporcionalmente baixo", afirmou o documento.

O relatório informou que a grande maioria dos imigrantes não cometeu nenhum crime. Foi a primeira vez que o BKA publicou uma análise sobre crimes cometidos por imigrantes contendo dados de todos os 16 Estados alemães, por isso não há informações comparáveis.

(Reportagem de Michelle Martin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos