Sharapova é suspensa por dois anos por doping e carreira fica em xeque

Por Martyn Herman

LONDRES (Reuters) - A carreira de Maria Sharapova, tenista russa ex-número um do mundo, ficou sob risco nesta quarta-feira depois que ela foi banida por dois anos pela Federação Internacional de Tênis, devido ao seu teste positivo para a droga proibida meldonium.

Num comunicado, a federação disse que a suspensão da tenista com cinco títulos de torneios de Grand Slam contaria a partir de 26 de janeiro deste ano, o que significa que o seu resultado e prêmio em dinheiro pelo Aberto da Austrália, no qual ela chegou às quartas, serão cancelados.

Sharapova, de 29 anos, afirmou que apelaria da decisão na Corte Arbitral do Esporte, descrevendo a punição como “injustamente dura”.

Ela afirmou que um tribunal independente em Londres em 18 e 19 de maio havia concluído que ela não tinha violado as regras antidoping de forma intencional.

Um relatório de 33 páginas da decisão disse que a federação “aceita que a jogadora não teve conduta que ela sabia ser uma violação da regra antidoping”, mas rejeita a sua afirmação de que não houve culpa “significativa” da sua parte.

"Ela é a única responsável pelo próprio infortúnio”, afirmou.

No seu site, a federação declarou que a suspensão, que poderia ter alcançado quatro anos, foi retroativa devido à “pronta admissão” de Sharapova sobre haver tomado a substância.

A pena termina à meia-noite de 25 de janeiro de 2018.

A Agência Mundial Antidoping divulgou mais tarde um comunicado curto em que diz que avaliaria o resultado antes de decidir se usa o seu direito independente de apelar à Corte Arbitral.

Sharapova tem regularmente se recuperado de contusões sérias durante a carreira, mas a suspensão por dois anos significa que ela não poderá jogar até o Aberto da Austrália de 2018, quando ela terá 30 anos, levantando dúvidas sobre se a tenista vai voltar a atuar.

"Se isso for mantido, eu acho que será difícil para ela retornar no mesmo nível”, disse o presidente da Federação Russa de Tênis, Shamil Tarpishchev, à agência de notícias TASS, pedindo para que a punição fosse reduzida.

Sharapova, a atleta feminina melhor paga do mundo, chocou o esporte em março ao anunciar que havia testado positivo para meldonium, um componente de um produto chamado Mildronate, que ela tomava desde 2006 por causa de um problema de saúde.

Sharapova, a mais importante figura do tênis a testar positivo num exame antidoping, afirmou na época ter cometido “um grave erro”, ao não se dar conta que o uso do remédio seria uma violação das regras.

A suspensão vai ter grande impacto no potencial de remuneração de Sharapova.

A fabricante de relógios suíça TAG Heuer cortou os laços com a tenista depois das notícias sobre doping, e outros patrocinadores como a Porsche se distanciaram dela. A Nike, contudo, disse nesta quarta que continuaria trabalhando com Sharapova.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos