Criticado, Trump promete trabalhar por harmonia étnica

WASHINGTON (Reuters) - Donald Trump, candidato republicano a presidente dos Estados Unidos, ofereceu uma mensagem de harmonia étnica nesta sexta-feira durante uma conferência evangélica cristã, na sua busca para acalmar as preocupações relacionadas às suas críticas contra um juiz mexicano-americano.

Em vez do seu costumeiro improviso, Trump leu no teleprompter um discurso cuidadosamente preparado como parte de um novo esforço da sua campanha para suavizar a retórica dura e direta do empresário de Nova York.

Os seus comentários incluíram um ataque abrangente contra Hillary Clinton, sua rival democrata, e ele disse que o dinheiro que tinha como objetivo o reassentamento de refugiados sírios nos Estados Unidos deveria ser usado para combater a pobreza nas cidades norte-americanas.

Falando na reunião da conservadora coalizão Faith & Freedom (fé e liberdade), Trump não mencionou a polêmica sobre a sua acusação de que o juiz Gonzalo Curiel não poderia tratá-lo com justiça por causa das suas origens mexicanas. No entanto, ele afirmou que representará todos os norte-americanos se eleito presidente em 8 de novembro.

"Liberdade de qualquer tipo significa que ninguém deve ser julgado pela sua raça ou cor e tom da sua cor”, declarou Trump. “Neste momento, nós temos uma nação muito dividida. Nós vamos juntar a nossa nação.”

Paul Ryan, o principal líder eleito do Partido Republicano, havia criticado Trump pelo que ele chamou de “definição de manual de comentário racista” por conta dos comentários sobre o juiz. Outros republicanos alertaram Trump a mudar o tom, ou então ele correria o risco de perder apoio.

(Por Steve Holland e Emily Flitter)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos