Eritreu extraditado à Itália nega ser traficante de pessoas e alega identidade trocada

ROMA (Reuters) - Um eritreu extraditado do Sudão para a Itália nesta semana sob denúncia de ser traficante de pessoas negou a acusação e disse ser vítima de um caso de identidade trocada, disse seu advogado nesta sexta-feira.

Na quarta-feira, autoridades italianas e britânicas anunciaram ter prendido Medhane Yehdego Mered, um suposto líder do tráfico humano. No entanto, quando imagens suas foram divulgadas, amigos e familiares disseram que ele é um refugiado eritreu chamado Medhanie Tesfamariam Berhe.

Magistrados italianos interrogaram o suspeito pela primeira vez nesta sexta-feira na presença de seu advogado. "Fui preso por engano", teria afirmado ele, segundo o advogado Michele Calantropo.

Caso confirmado, seria um golpe duro para Itália e Grã-Bretanha, que haviam saudado a extradição de Mered, apelidado de "o general", como uma vitória contra o tráfico humano internacional.

Uma fonte envolvidas nas investigações, que não quis se identificar, disse que investigadores italianos e britânicos deram às autoridades sudanesas informações precisas sobre o telefone celular que Mered estava usando e que acreditavam que o homem preso o tinha em sua posse.

Mas as autoridades italianas não tiveram nenhum acesso a ele no Sudão após sua prisão em 24 de maio, disse a fonte.

(Por Crispian Balmer)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos