ONU diz que ação de Israel contra entrada de palestinos pode representar punição coletiva

GENEBRA (Reuters) - O cancelamento por Israel de permissões de entrada para palestinos após um ataque mortal em Tel Aviv pode representar uma punição coletiva, o que é banido pelas leis internacionais, disse nesta sexta-feira a maior autoridade de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Exército israelense revogou na quinta-feira permissões para 83 mil palestinos visitarem Israel, e informou que irá enviar centenas de tropas adicionais à Cisjordânia, após um ataque palestino a tiros matar quatro israelenses em Tel Aviv.

O alto comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, condenou o ataque, mas expressou profunda preocupação com a revogação de permissões, "que pode representar punição coletiva proibido e somente irá aumentar o sentimento de injustiça e frustração sentido por palestinos", disse a porta-voz Ravina Shamdasani durante entrevista coletiva.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos