Tiroteio deixa ao menos 20 mortos e 42 feridos em boate gay na Flórida

Por Barbara Liston

ORLANDO, EUA (Reuters) - Um homem armado matou cerca de 20 pessoas em uma boate gay lotada durante a madrugada de domingo, na Flórida, e acabou sendo morto pela polícia em um "incidente de terrorismo doméstico", segundo autoridades locais.

Um policial que trabalhava como segurança dentro da boate Pulse trocou tiros com o suspeito por volta das 2h da madrugada, disse a polícia.

Clientes da boate foram mantidos reféns, mas logo uma equipe de policiais entrou no local e matou o atirador. Não foi esclarecido em que momento o homem armado atirou nas vítimas.

"Às... 5h nesta manhã, foi tomada a decisão de resgatar as vítimas mantidas reféns dentro do local. Nossos policiais trocaram tiros com o suspeito. O suspeito está morto", disse o chefe de polícia de Orlando, John Mina, em uma entrevista coletiva à imprensa.

Ao menos um policial ficou ferido no tiroteio, mas a ação da polícia salvou ao menos 30 vidas, disse Mina.

O suspeito portava um rifle e uma arma de pequeno porte, além de um "dispositivo" não identificado implantado nele, disse Mina.

A polícia não divulgou o nome do autor de imediato, nem forneceu um motivo possível para o ataque, mas policiais classificaram o ocorrido como "um incidente terrorista doméstico", disse o cherife do condado de Orange, Jerry Demings.

Javer Antonetti, de 53 anos, disse ao jornal Orlando Sentinel que estava perto da parte dos fundos da boate quando ouviu tiros. "Houve tantos (tiros), ao menos 40", disse.

(Reportagem de Chris Michaud em Nova York e Mary Milliken em

Los Angeles)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos