Tia Eron não declara voto e diz que seguirá consciência no processo contra Cunha

BRASÍLIA (Reuters) - Voto considerado decisivo no processo de cassação do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética da Casa, a deputada Tia Eron (PRB-BA) declarou que irá votar de acordo com “sua consciência” nesta terça-feira.

Alvo de pressão tanto dos que defendem a manutenção do mandato de Cunha quanto dos favoráveis à cassação do deputado, Tia Eron chegou a dar indícios em sua fala que poderia votar contra o relatório, que pede a cassação de Cunha, mas também sinalizou que poderia apoiar o relatório.

Segundo Tia Eron, o presidente de seu partido, o ministro da Indústria, Comércio e Serviços, Marcos Pereira, conferiu à deputada “tranquilidade, liberdade e paz para fazer esse julgamento”.

Na última semana, a deputada sequer compareceu à sessão do Conselho de Ética que estava convocada para votar parecer pela cassação de Cunha.

Depois, em nota, afirmou que não se furtaria de cumprir seu dever e se disse “convicta da grande expectativa” que o caso gera.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos