Venezuela alivia racionamento de energia e termina política de 2 dias de trabalho

CARACAS (Reuters) - O governo socialista da Venezuela aliviou na segunda-feira um programa nacional de racionamento de energia, levando ao fim uma controversa política de dois dias de trabalho por semana que estava em vigor desde abril para quase 3 milhões de funcionários do setor público.

O ministro da Eletricidade, Luis Motta, disse que graças ao nível crescente das águas no reservatório Guri, que fornece dois terços da eletricidade do país, funcionários estatais podem voltar a trabalhar até as 13h nas quartas, quintas e sextas-feiras.

O racionamento de eletricidade nos fins de semana também será finalizado, e as escolas, que estavam sendo fechadas nas sextas-feiras como outra medida de racionamento, podem voltar a operar durante a semana toda, disse o ministro.

"Estamos ganhando!", disse Motta em publicação no Twitter.

Autoridades disseram que as medidas de racionamento foram uma resposta emergencial à seca deste ano e ajudaram a reduzir o consumo de energia na nação de 30 milhões de pessoas.

Mas críticos, incluindo a coalizão de oposição, atacaram a ação, dizendo que o fechamento de escolas por um dia na semana iria prejudicar crianças. Para eles, o ato de enviar funcionários públicos para casa não faz diferença, já que eles iriam usar eletricidade em outro lugar.

Opositores dizem que o governo socialista é culpado pela falta de eletricidade por conta da corrupção, falta de investimentos e má administração.

(Reportagem de Diego Oré)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos