Governo sírio denuncia forças especiais alemãs no país; Berlim nega

BEIRUTE (Reuters) - O governo da Síria disse nesta quarta-feira que forças especiais da Alemanha estão presentes no norte da Síria, assim como militares da França e dos Estados Unidos, uma acusação que Berlim negou.

A mídia estatal síria afirmou que o governo repudiou fortemente a presença de forças francesas e alemãs em Ain al-Arab, também conhecida como Kobani, e em Manbij.

"A Síria... considera isso uma agressão explícita e injustificada contra a soberania e a independência (da Síria)", disse o Ministério das Relações Exteriores sírio, segundo a agência oficial de notícias Sana.

As Forças Democráticas da Síria (SDF, na sigla em inglês), que têm apoio dos EUA, estão realizando uma ofensiva contra o Estado Islâmico perto de Manbij, e Kobani está sob controle das Unidades de Proteção Popular (YPG, na sigla em curdo), que são parte das SDF. 

O Ministério da Defesa alemão disse que as afirmações repetidas de Damasco a respeito de forças especiais da Alemanha no norte da Síria jamais foram verdadeiras.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que tem sede em Londres e monitora a guerra civil síria de mais de seis anos, relatou que forças especiais francesas estão construindo uma base perto de Kobani.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos