Polícia Federal dos EUA interroga mulher de atirador de Orlando

ORLANDO (Reuters) - Investigadores dos Estados Unidos interrogaram a mulher do atirador que matou 49 pessoas em uma boate gay de Orlando, disse a Polícia Federal dos EUA (FBI) nesta quarta-feira, e uma fonte policial disse que ela pode ser acusada criminalmente se houver indícios de alguma conduta imprópria de sua parte.

A mulher de Omar Mateen, Noor Salman, sabia de seus planos para o que se tornou o pior ataque a tiros da história moderna do país, afirmou a fonte, que está a par do assunto.

"Com respeito à esposa, posso dizer a vocês que este é somente um de muitos interrogatórios que fizemos e que continuaremos a fazer nesta investigação", disse Ron Hopper, agente especial do FBI, em uma coletiva de imprensa. "Não posso comentar sobre o resultado dessa investigação."

O FBI quer saber de qualquer pessoa que teve contato ou informações sobre o atirador, afirmou Hopper.      

Em Washington, o massacre de domingo na Flórida rendeu novos debates sobre o acesso a armas no país depois que veio à tona que Mateen comprou legalmente um rifle de assalto, embora o FBI o tenha investigado no passado por causa de suas possíveis ligações com grupos militantes islâmicos.

(Por Letitia Stein e Julia Edwards)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos