Presidente do BC da Índia surpreende e pede demissão

MUMBAI (Reuters) - O famoso presidente do banco central da Índia, Raghuram Rajan, festejado por investidores estrangeiros mas sob pressão de opositores políticos em casa, surpreendeu os funcionários do governo e colegas ao anunciar que deixaria o cargo depois de apenas três anos.

Rajan, ex-economista chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), tem enfrentado críticas crescentes a partir de uma parcela dentro do partido do primeiro-ministro Narendra Modi por manter altas taxas de juros e da percepção de que ele tinha começado a atuar no campo político.

Em carta aos funcionários do banco central, Rajan disse que pretende voltar à academia e ressaltou que dois de seus atos --a criação de um comitê de política monetária para definir as taxas de juros e a limpeza do setor bancário altamente endividado-- não foram finalizados.

"Quero compartilhar com vocês que vou voltar para a academia quando meu mandato como presidente terminar em 4 de setembro de 2016" escreveu ele.

"Eu vou, é claro, estar sempre disponível para servir o meu país quando necessário."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos