Harry Potter e os monstros do referendo da UE: JK Rowling critica campanhas

LONDRES (Reuters) - A escritora JK Rowling criticou a retórica que cerca o referendo britânico sobre a permanência na União Europeia, chamando a campanha de "divisiva e amarga".

Em seu site, a criadora do universo "Harry Potter" dissecou as narrativas de ambos os lados e comparou o processo de campanha à criação de um "monstro".

Ela criticou especialmente os argumentos anti-imigração colocados pelas pessoas que apoiam a saída.

"Para muitos de nossos cidadãos, suspeito que uma voto pelo 'Sai' será um simples grito de frustração", escreveu nesta segunda-feira.

Ela também questionou o "cruel" caos econômico disseminado pelos que querem a permanência no bloco. Ela não disse como irá votar.

No artigo intitulado "Sobre monstros, vilões e o referendo da UE", Rowling, uma das autoras de maior sucesso do mundo, também se chamou de um "produto mestiço" da Europa, graças à sua herança familiar parcialmente francesa.

Manifestantes de ambos os lados foram criticados por distorcer fatos e a retórica na campanha, especialmente após o assassinato da parlamentar britânica Jo Cox, que apoiava a permanência.

(Reportagem de Freya Berry)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos