Impacto de Zika em crianças exigirá nova abordagem médica, diz especialista

Por Bill Berkrot

(Reuters) - A disseminação do Zika vírus pelas Américas provavelmente irá afetar as vidas de dezenas de milhares de crianças com uma ampla gama de problemas neurológicos e psiquiátricos no ano que vem, exigindo uma nova abordagem em seus cuidados, disse um destacado especialista em doenças norte-americano nesta segunda-feira.

O doutor Peter Hotez, da Escola Nacional de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina Baylor, escreveu no periódico científico JAMA Pediatrics que vários outros especialistas em pediatria, incluindo neurologistas e especialistas em medicina de reabilitação, "irão precisar se mobilizar rapidamente para tomar a dianteira deste trem em alta velocidade".

O surto atual de Zika foi detectado primeiramente no Brasil no ano passado, e as autoridades de saúde pública estimam que a doença pode infectar até 4 milhões de pessoas nas Américas. Quando gestantes são infectadas, o vírus pode causar microcefalia, uma má-formação cerebral, assim como uma série de outras moléstias neurológicas potencialmente graves e problemas de desenvolvimento.

O Brasil já confirmou mais de 1.500 casos de microcefalia ligados ao Zika, e está estudando anomalias adicionais em fetos que podem ser resultantes do vírus.

    Pesquisadores também estão acompanhando bebês aparentemente normais de mulheres infectadas durante a gravidez para saber se os problemas de desenvolvimento surgem mais tarde na infância.

"Provavelmente precisaremos educar e treinar uma nova geração de prestadores de cuidados primários, incluindo pediatras e praticantes de enfermagem pediátrica", escreveu Hotez.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos