Política britânica rompe com defensores de saída da UE citando mentiras e xenofobia

LONDRES (Reuters) - Uma experiente política britânica acusou os defensores da saída da Grã-Bretanha da União Europeia nesta segunda-feira de disseminarem mentiras, ódio e xenofobia, dizendo que está se unindo ao campo que defende a permanência do país do bloco.

Os britânicos irão votar em um referendo na quinta-feira para decidir se o país permanece ou não no bloco de 28 nações, uma escolha que terá consequências econômicas e políticas abrangentes para a Grã-Bretanha e o resto do continente.

Sayeeda Warsi, ex-ministra e co-presidente do conselho do governista Partido Conservador, acusou os defensores do rompimento com a UE de insinuarem equivocadamente que ficar no bloco faria uma grande quantidade de refugiados turcos e sírios rumarem para solo britânico no futuro próximo.

"Será que estamos preparados para contar mentiras, a espalhar ódio e xenofobia só para vencer uma campanha? Para mim é ir longe demais", afirmou ela ao jornal The Times.

"Não quero que o campo do 'Sai' governe este país e não quero que as mensagens vindas daquele campo formem a base do tipo de Grã-Bretanha na qual quero morar e criar meus filhos", acrescentou.

A organização oficial Vote pela Saída minimizou a questão. Seu porta-voz disse não se lembrar que Sayeeda tenha se unido à campanha e se mostrou surpreso com seu anúncio. Sayeeda não desempenhou um papel proeminente na campanha do "sai", mas disse que passou bastante tempo defendendo a desfiliação.

(Por Estelle Shirbon)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos