Trump tenta esclarecer comentários sobre presença de armas em boate de Orlando

(Reuters) - O provável candidato presidencial republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse estar se referindo à equipe de segurança, e não aos clientes, quando disse que se mais pessoas estivessem armadas durante o ataque a tiros em uma boate de Orlando na semana passada, menos delas teriam morrido.

"Quando eu disse que se, dentro do clube de Orlando, você tivesse algumas pessoas com armas, eu obviamente falava de guardas ou funcionários adicionais", afirmou Trump no Twitter nesta segunda-feira.

Na semana passada, o magnata disse que gostaria que alguém dentro da boate gay Pulse estivesse com uma arma de fogo para deter o atirador que matou 49 pessoas em Orlando no dia 12 de junho antes que ele pudesse matar mais clientes.

"Se as balas estivessem indo na outra direção e visando esse cara, que estava praticando tiro ao alvo, você teria uma situação horrível do mesmo jeito, mas nada como a carnificina que todos nós, como povo, sofremos nesse final de semana", discursou anteriormente o bilionário em comício em Atlanta na quarta-feira.

No domingo, o presidente da Associação Nacional de Rifles dos EUA, Wayne LaPierre, pareceu rejeitar a ideia de que frequentadores de boates devem andar armados.

"Não acho que você deveria ter armas de fogo onde as pessoas estão bebendo", disse LaPierre no programa "Face the Nation" do canal CBS.

Um policial de Orlando de folga fazia a segurança do clube durante o massacre, disseram autoridades.

         (Por Kouichi Shirayanagi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos