Exposição prévia à dengue pode agravar Zika, dizem cientistas

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Cientistas que estudam o surto de Zika no Brasil disseram que a exposição prévia à dengue, outra doença transmitida por mosquitos, pode exacerbar a potência das infecções de Zika.

Descobertas de laboratório ainda em fase inicial realizadas por pesquisadores da Grã-Bretanha, França e Tailândia levam a crer que o Zika usa as próprias defesas do organismo como um "cavalo de Troia", o que lhe permite entrar nas células humanas despercebido. Uma vez dentro das células, ele se replica rapidamente.

Os cientistas disseram que os resultados, publicados no periódico científico Nature Immunology, sugerem que alguns anticorpos da dengue conseguem reconhecer e se acoplar ao Zika devido às semelhanças entre os dois vírus, mas que estes anticorpos também podem amplificar a infecção de Zika, um fenômeno chamado de intensificação dependente de anticorpo.

Este efeito já é conhecido com a dengue, afirmaram, e se acredita que ele explica por que, quando uma pessoa é contaminada pela dengue uma segunda vez, a infecção muitas vezes é mais séria do que a primeira.

"Embora este trabalho esteja em um estágio muito inicial, ele indica que uma exposição prévia à dengue pode intensificar uma infecção de Zika", explicou Gavin Screaton, professor do Imperial College da Grã-Bretanha que liderou a pesquisa.

"Essa pode ser a razão de o surto atual estar sendo tão severo, e a razão de estar em áreas onde a dengue é prevalente".

Jeremy Farrar, especialista em doenças infecciosas e diretor da instituição de caridade de saúde global Wellcome Trust, que co-financiou o estudo, afirmou que seus resultados ofereceram pistas em potencial sobre o surto em curso e sobre como avançar na criação de vacinas.

As infecções de dengue aumentaram dramaticamente ao longo das últimas décadas. O vírus causa cerca de 390 milhões de infecções por ano globalmente – e 40 por cento da população mundial vive em áreas de risco.

A dengue é comum no Brasil, e o Ministério da Saúde brasileiro relatou uma disparada nos casos este ano.

O Zika é disseminado pelos mesmos mosquitos e vem provocando alarme nas Américas desde que casos de microcefalia, uma má-formação craniana, foram relatados no Brasil, o país mais afetado pela epidemia atual. As autoridades brasileiras já confirmaram mais de 1.400 casos de microcefalia em bebês cujas mães foram expostas ao Zika durante a gravidez.

Pessoas de todo o mundo já começam a convergir ao Brasil para a Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016, que começa em agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos