Dilma não deve comparecer à comissão de impeachment do Senado para depor, diz fonte

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff não deve comparecer para depor na comissão de impeachment do Senado na próxima semana, disse uma fonte próxima à presidente.

Há a previsão de um depoimento de Dilma à comissão na próxima quarta-feira. Neste momento, a tendência é que, se decidir ir ao Congresso em uma das ocasiões possíveis, deverá ser no plenário, disse a fonte à Reuters.

Dilma não é obrigada a ir em nenhum dos momentos, mas pode ser representado por seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo. Na comissão, Dilma poderia ser interpelada diretamente pelos senadores e por juristas como Janaína Paschoal, que assina o pedido de impeachment.

A defesa irá ainda consultar o presidente do STF sobre o rito em plenário, mas a tendência é que não haja questionamentos dos senadores.

Dilma é acusada no processo de impeachment de crime de responsabilidade por atrasos de repasses do Tesouro ao Banco do Brasil por conta do Plano Safra e pela edição de decretos com créditos suplementares sem autorização do Congresso. Dilma nega ter cometido irregularidades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos