Putin insinua que Rússia irá reagir se Finlândia se unir à Otan

NAANTALI, Finlândia (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, insinuou nesta sexta-feira que seu país pode colocar tropas mais perto da fronteira russo-finlandesa se a Finlândia se unir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), e pediu medidas para melhorar a prevenção de conflitos no Báltico.

As Forças Armadas da Finlândia "se tornariam parte da infraestrutura militar da Otan, que da noite para o dia estaria nas fronteiras da Federação Russa", disse Putin depois de conversar com o presidente finlandês, Sauli Niinisto.

"Vocês acham que vamos manter tudo como está, nossas tropas a 1.500 quilômetros de distância?".

A primeira visita de Putin à Finlândia desde a irrupção da crise na Ucrânia em 2014 aconteceu em meio a atividades crescentes da Rússia e da Otan na região do Mar Báltico e no momento em que a militarmente neutra Finlândia e a vizinha Suécia reforçam sua cooperação com a aliança e a uma semana de uma cúpula da Otan em Varsóvia, na Polônia.

"Talvez a Otan lutasse com prazer com a Rússia até o último soldado finlandês", disse Putin. "Vocês precisam disso? Nós não. Não queremos isso. Mas depende de vocês."

O espaço aéreo sobre o Báltico foi palco de uma série de aproximações de aeronaves russas e ocidentais nos últimos meses, e os ex-Estados soviéticos pediram à Otan que fortaleça as defesas aéreas na região.

(Por Denis Dyomkin e Tuomas Forsell)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos