Norte-americanos celebram o 4 de Julho em meio à segurança reforçada

Barbara Goldberg

Em Nova York

  • Eduardo Munoz/Reuters

    Norte-americanos celebram o 4 de Julho em meio à segurança reforçada

    Norte-americanos celebram o 4 de Julho em meio à segurança reforçada

Os Estados Unidos celebraram o feriado de 4 de Julho nesta segunda-feira com paradas, competições de bolos e piqueniques decorados em vermelho, branco e uma camada de azul, ao mesmo tempo em que a polícia intensificou a vigilância por causa das preocupações com terrorismo e violência armada.

Milhões de norte-americanos marcaram a independência do país em relação aos britânicos com celebrações animadas como uma festa com o mito da música country Willie Nelson para 10 mil pessoas numa pista de corrida em Austin, no Texas, e tradicionais como a com atores vestindo trajes de época e lendo a Declaração da Independência no Arquivo Nacional em Washington.

"É um dia bom para refletir nas coisas positivas dos EUA, o senso de liberdade de que você pode buscar e alcançar o que você quiser", afirmou Helen Donaldson, 48 anos, mãe de uma família multiétnica de quatro adolescente adotados, em Nova Jersey.

Ela, uma imigrante branca australiana, se divertia com as suas duas filhas afroamericanas nascidas em Nova Jersey, ambas com 12 anos e vestidas de vermelho, branco e azul, quando uma gravação de "Star Spangled Banner" tocou para dar a partida numa corrida de revezamento infantil. Perto dali, na tenda de uma competição de bolos, Nate Fisher, de 13 anos, entrava com sua torta de amora na disputa.

"Estou bastante otimista", afirmou ele, sorrindo.

A tradicional disputa de quem come mais cachorros-quentes em Coney Island, em Nova York, entrou para a história, com o tradicional campeão, Joey "Mandíbulas" Chestnut, ganhando de volta o Cinturão Internacional Mostarda Amarela do vencedor do ano passado, Matt Stonie. Chestnut estabeleceu um novo recorde ao comer 70 cachorros-quentes em dez minutos. Na competição feminina, Miki Sudo manteve o seu título com 38 cachorros-quentes em dez minutos.

Com o feriado ocorrendo dias depois dos ataques em Bagdá, Daca e Istambul, o Departamento de Polícia de Nova York empregou oito novos cachorros treinados para farejar explosivos.

A ação policial neste feriado foi intensificada pela presença de quase 2.000 policiais, que se graduaram na sexta-feira na Academia de Polícia.

Reportagem adicional de Gina Cherelus e Daniel Wallis em Nova York, Fiona Ortiz em Chicago, Adam DeRose em Washington, e Jon Herskovitz em Austin

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos