EUA sancionam líder norte-coreano por abusos a direitos humanos

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos sancionaram altos funcionários do governo da Coreia do Norte, incluindo o líder do país, Kim Jong Un, nesta quarta-feira, sob alegações de “notórios abusos a direitos humanos”. 

Essa foi a primeira vez que os Estados Unidos identificaram o líder norte-coreano como um alvo direto de sanções, e diplomatas disseram que a decisão pode atiçar o país oriental — uma potência nuclear — onde seu líder é considerado infalível. 

As sanções, que têm como alvo propriedades e outros ativos dentro da jurisdição dos EUA, estende-se a outros 10 indivíduos e cinco entidades, informou o Departamento do Tesouro dos EUA em comunicado. 

“Sob Kim Jong Un, a Coreia do Norte continua a infligir intolerável crueldade e dificuldades sobre milhões de seus próprios cidadãos, incluindo assassinatos extrajudiciais, trabalho forçado e tortura”, disse em comunicado o subsecretário em exercício para Terrorismo e Inteligência Financeira, Adam J. Szubin.

Um relatório feito pelo Departamento de Estado dos EUA para o Congresso, visto pela Reuters, listou os responsáveis por abusos de direito humanos e censura na Coreia do Norte. O líder norte-coreano ficou no topo da lista. 

A missão da Coreia do Norte às Nações Unidas não respondeu imediatamente a pedidos de comentários.

(Por David Brunnstrom, Joel Schectman e Yeganeh Torbati)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos